1.2.10

SENHOR DOS PASSOS 2002

PROCISSÃO DO SENHOR DOS PASSOS
Tradição, Pregação e Reflexão

No passado dia 10 foi dia grande para a nossa Cidade de Ovar. Foi dia da Procissão dos Passos.
Muita gente esperava esta Procissão. Muitos vareiros e re­sidentes em Ovar, e também muitos visitantes esperando ver passar os andores do Senhor dos Passos e da Nossa Senhora. Este ano, felizmente, houve um aumento de participantes nas alas da Procissão, que com as opas roxas, ajudaram a dar mais brilho a esta manifestação religiosa. Mas antes de sair a Procissão, houve uma Cerimónia Religiosa na Igreja Matriz, na qual se cantaram salmos com a preciosa ajuda do Gru­po Coral do Santíssimo, e cele­brou-se a Palavra de Deus segui­da de uma pregação feita por um Sacerdote Missionário da Congregação dos Claretianos.
Nesta pregação este Sacerdote começou por explicar a necessi­dade de todos nós entendermos que uma Procissão tem que ser fértil num momento de afir­mação pública da nossa fé de cristãos, e lembrou que é im­portante que não tenhamos me­do de dizer que somos cristãos, de dizermos que acreditamos em Jesus Cristo. Depois foi a saída da Procissão. Como eu foi um dos que fiquei no Adro da Igreja para, com outros parti­cipantes, acompanhar em procissão o andar da Imagem de Nossa Senhora para o local do Encontro, tive assim a opor­tunidade de ver do alto do adro da Igreja a Procissão do Senhor dos Passos que descendo a es­cadaria da Igreja, seguiu pela Rua Gomes Freire até desapa­recer frente à Capela de Nossa Senhora da Graça.
Foi lindo, ver à frente o enor­me Pendão, as crianças com tra­jes próprios, os homens e rapazes com as opas formando as alas, o andor com a Imagem do Senhor dos Passos, com os homens que o levavam todos vesti­dos de fato preto, a seguir o Pálio com as autoridades ofi­ciais da Autarquia à frente, e depois o Rev. Pároco acompa­nhado pelo Sacerdote Missioná­rio e pregador. A seguir a Ban­da da Filamónica Ovarense (Música Velha), e atrás mui­tas pessoas devotas que cum­priam suas promessas e outras que quiseram acompanhar e participar na Procissão. Repito: Tudo isto visto do adro da Igre­ja, bem perto do andor de Nossa Senhora das Dores, o qual estava acompa­nhado pelo Padre Coadjutor da nossa Paróquia, foi um momen­to inesquecível.
Na pregação do Encontro de Maria com seu Filho Jesus, o Sacerdote quis recordar em co­mum com todos os presentes, este encontro a caminho do Calvário. Falou na presença de Maria na vida de Jesus, na pre­sença dela no momento de dor, no momento difícil no momento de incompreensão dos homens para com o seu Filho, e disse: “A presença de Maria com o seu amor de Mãe acom­panhando naquele momento de dor, ela está ali renovando o seu sim, a sua entrega a Deus, e sofrendo com seu Filho, acompanhando-o a caminho do Calvário”. Nesta pregação este Sacerdo­te Missionário não deixou pas­sar as palavras mais importan­tes para todos nós cristãos e não só !… “Também a nós, com o seu amor de Mãe, hoje con­tinua a acompanhar com seu Filho e a mostrar-nos de que te­mos uma Mãe, uma Mãe que nos ama, uma Mãe que está connosco nas dificuldades e nas alegrias, uma Mãe que nos guia, que nos aponta um cami­nho, que nos vai ,dizendo hoje, como disse em Caná: - "Fazei tudo aquilo o que Ele vos dis­ser”. Depois, a Procissão conti­nuou, mas agora com os dois andores, parando nas Capelas dos Passos, nas quais, o Grupo Sacro do Orfeão de Ovar deu todo o seu imprescindível contributo a que todos os vareiros e não só, estão habituados. Na pregação feita na Capela do Calvário o pregador lem­brou, dizendo: - “Cristo morreu na Cruz, e nós podemos perguntar-nos. Porquê? Porque incomodava, porque vinha anunciar um Reino aberto aos pobres, aos oprimidos, aos pacíficos, aos pequenos, aos hu­mildes, e por isso, os poderosos do Seu tempo sentiram-se in­comodados, e por isso, todos os poderosos do seu tempo se uniram para condenar o inocente. Nós hoje, após quase dois mil anos, não podemos ficar indiferen­tes”. E assim acabou esta Procis­são, como caminhada de fé para uns, e como penitência para outros. Oxalá que estas refle­xões extraídas da pregação, sir­vam para mantermos na nossa vida, algo da essência deste a­contecimento. TEXTO: António Mendes Pinto/jornal "Notícias de Ovar" (2002) - Foto de Mário Jorge

2 comentários:

  1. Gosto muito desta fotografia do Senhor dos Passos!!!
    Muitos Parabens!!!
    poderiam também colocar outras fotos das restantes procissões quaresmais, eu gostaria de ver!!!
    bem Haja!!!

    ResponderEliminar
  2. Sim, também vamos colocar fotos das outras procissões na barra lateral. Obrigado pela visita!

    ResponderEliminar